sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

ÁRIES / CASA 1 / MARTE



     

^  Lembra água jorrando, sobrancelha do carneiro.    
Doenças de  Áries são mais sentidas na cabeça, pois Áries rege a cabeça, nariz, cérebro.
Problemas dos arianos: sinusite, febres, inflamações, enxaquecas, acidentes, cicatrizes e cirurgias.
Áries – Rege coisas que queremos muito rapidamente, trabalhos com máquinas, ferro e fogo, trabalhos que exigem esforço, atividade físicas.
Marte rege Áries então será falado de Áries e Marte.
Marte rege: ferro, fogo, médicos, dentistas e  bailarinos.
Uma pessoa Ariana  com sol e com Marte na casa 12 é uma pessoa decidida, mas o mundo não a ajuda.  Casa 12 é uma casa de confusão.



Quando for olhar o mapa de uma pessoa se ela for mulher olhe a Lua (onde está, em que casa, signo, aspectos) e a Vênus. Para homens olhar o Sol e o Marte.
O signo que estiver na casa significa o que tenho que ser;
O planeta na casa vai ser um conflito, briga. O planeta quer se impor.
Quem tem o sol em Áries, Marte mostra como se deve iniciar ação agressiva para realizar seu destino.
Quem tem a lua em Áries, Marte mostra como satisfazer suas exigências emocionais.
Quem tem ascendente Áries, Marte revela a direção na qual você deve competir para vencer.
Muitos planetas no lado esquerdo do mapa a pessoa vai mais por ela mesma, usa o seu livre arbítrio.
Na hora de impor sua filosofia de vida você imporá o signo que estiver na Casa 9.
Quando estiver de baixo astral ver a casa 9 e fazer algo que agrade esta casa, com isso você estará repondo suas energias. Casa 9 com Áries, pegar livros profundos, ir a igreja, fórum, etc.




Quadratura Marte-Lua ou Marte-Plutão ð pode significar aborto. Sol em quadratura com Marte ðbrigas, conflitos com o masculino.
Casa 9 com Áries nos assuntos desta casa não vai ter ajuda de ninguém, ou vai agir  impulsivamente sem pensar. Com o Marte positivo, a força ariana do mapa estará bem.
Hobin Hood se divertia com o perigo, inventava coisas novas (Áries).
Característica dos arianos: tem iniciativa, compulsão para agir, impulsivo, direto, “topa tudo”.
Áries - energia que tem a necessidade de impor a personalidade;
A não aplicação da energia ariana de auto determinação pode ser a causa da divisão do eu criando neuroses quanto mais fragmentada for a pessoa. A pessoa se sente não conseguindo o que quer, fracassada.
Coisas de Áries: (ascendente, lua e sol)
Ÿ Lições de vida ligadas a paciência e delicadeza;
Ÿ Tensão proveniente de rápida atividade mental;
Ÿ Espera que tudo ande depressa;
Ÿ Acha difícil aguardar que as coisas sigam seu curso;
Ÿ As pessoas que trabalham devagar lhe causam frustração impaciência, sem tato com os mais lentos;
Ÿ Tira a palavra da boca dos outros, toma as coisas nas próprias mãos;
Ÿ Grande desejo de independência;
Ÿ Exaustão a curto prazo; 
Fome súbita, porque os recursos são esvaziados pelo ritmo acelerado;
Ÿ É melhor para começar do que para terminar;
Ÿ Corajoso;
Lua em Áries, Ascendente em Áries e signo em Áries deve-se olhar onde o planeta Marte se encontra,   pois é muito importante para Áries este planeta.
Áries é o pessoal o que influencia, já Marte será o ego.
Marte no mapa diz onde a pessoa inicia as ações, se atira na competição, age impulsivamente.
A marca pessoal do indivíduo é o signo que está na casa, já o planeta mostra como você vai agir. Marte (planeta) se atira para competição na casa que está.



Marte significa força desejo sexual, iniciativa, impulso.
Marte é um planeta fazedor de carma (você atua sem pensar, por isso é fazedor de carma).
Quando Marte não está aspectado ele perde a força.
Os bons aspectos (linhas azuis) são planetas que estão apoiando na força de fazer a sua vontade. Negativo (linhas vermelhas) causa dificuldade para Marte.

O número 5 representa crise, o homem.


Casa 1 - identidade pessoal, desocupada (sem planetas) a individualidade não é uma questão de interesse pessoal, mas se houver  1 ou mais planetas o nativo se interessa por aspectos do eu. Tem algo a resolver.
Casa 1 são as condições gerais da saúde e do corpo (físico por fora);
Sol com lua na casa 1 a pessoa é especial e tem algo de importante a fazer na terra.


Marte:
            Anjo: Samail, Barachiel e kamael
            Número simples: 5
            Cor: vermelho
            Aroma: hortelã, pimenta, gengibre
            Metal: ferro
            Pedra: ametista
            Sacramento: penitência
            Período de vida: juventude
            Anverso do Talismã: espada
            Reverso do Talismã: cabeça de um leão
            Dia da semana: Terça-feira
            Negativo

Áries- forças da geração e da fertilização, iniciado e depois mantendo a continuidade da vida criativa.
Luta pela identidade espiritual individual, que acredito ser o cerne do drama de Áries, o Carneiro;
Impulso de lançar-se em situações perigosas para provar a masculinidade é característico de Áries;
Áries, como pai ou mãe, e não como filho ou filha vítimas de um pai dominador, pode descobrir que o mito é o mesmo, mas os papéis mudaram, e seus filhos se rebelam contra sua recente tirania;
Os mitos ligados a Áries são: Tosão de ouro fálico de Zeus, o cordeiro dourado (símbolo de soberania) que consta na história de Atreu e Tiestes;
Destino de Áries: o triângulo amoroso, menos centrado no objeto desejado do que na competição envolvida.
O drama pai-filho: é a batalha inicial pela liberdade.


Caim (personagem bíblico) ressentimento, mágoa, negatividade.
Abel (personagem bíblico) otimista, positivo.




O corpo do homem é a provisória casa de Deus no planeta Terra.  É a primeira experiência do homem provindo das profundezas do si próprio, onde o inconsciente absoluto repousa no refrigério entre dois egos-planetas (quando tem planeta na casa), algumas vezes, entre self-estrelas (quando só tem o signo na casa).

O corpo encarnando a alma milenar em prova iniciática na terra,  aspira no momento do nascimento a energia do universo todo plasmado e quieto ante sua chegada, e grato, expira a pleno pulmão, e com dor, a pureza do seu interno.
Ao nascer há uma transição dolorosa para quem chega, pois há, em sua memória universalizada no código genético, certeza de que provas virão na encarnação.  Sobretudo, quando a alma é elevada e já em iniciação, o que principalmente acontece com os que nascem com os signos interceptados.

Iniciar a vida é situar-se mais uma vez no estado selvagem de Caim para tentar não matar Abel e, se possível, se unir a ele no sublime estado de casamento alquímico.

Abre-se, a cada ronda, mais uma nova oportunidade, e as experiências espalhar-se-ão em casas.  O momento do nascimento exprime, através do signo ascendente, “quem é”, através do signo lunar, “de onde veio”, e através do signo solar, “para onde vai”.

O ascendente revela, identifica, não apenas o tamanho, a altura, o peso, a qualidade da raça terrena, mas também, a marca de Caim: Quem é, atualmente na estrutura evolutiva do planeta Terra.

A casa da vida é cardeal, espacializada (corpo), ariana.  Ela concentra no grau, o desejo do indivíduo, agora encarnado, pela evolução biopsíquica, como corolário da evolução da vida na Terra.  Esse desejo existe, ali mesmo na primeira casa:
            a) Inconsciente - quando há ausência de planetas no campo;
            b) Astral ou emocional - quando os planetas do campo são pessoais; (Mercúrio, Vênus, Marte, Lua , Infância)
            c) Mental - quando os planetas são transpessoais; (Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão, Maturidade)
 

O Sol na primeira casa traz a força da constelação individual no campo vibratório do ascendente.

Ao cobrir o espaço ascendido astrologicamente, ele se propõe, como potencial de vitalidade, exibir a marca de Abel na plena concentração de sua energia.  Traz o potencial de energia e motivação.

O Sol astrológico indica força potencial e física no corpo.  Porém note-se, que o sol astronômico ainda não surgiu no leste.  O sol evidencia a força protetora no ascendente.  O corpo deve estar saudável para os embates desta vida que se inicia ali.  Há que se entender, contudo, que o sol nada mais afirma e acentua senão um potencial de força, o grande desejo racial.  Esse desejo, contudo, será direcionado pelo planeta da casa ou planeta mais próximo ao sol.

A qualidade da vibração solar mesclada ao ascendente se faz pelo planeta imediatamente ligado ao sol, e a quantidade de energia a ser experienciada, positiva ou negativamente, será dada pela aspectologia planetária.

A Lua, na razão sistêmica com o ascendente, representa para este a memória, as raízes, o subconsciente expressando as origens biopsíquicas, o começo e o fim da história.  É a lua que expressa a mãe-proteção, enquanto o sol expressa o pai-libertação.  O sol também representa a imaginação e a lua a memória.
A Lua na primeira casa, é a força natural que faz agir a ambição do ego-terra, expondo o ser ao fluxo e refluxo das energias triviais do dia-a-dia.
Se a Lua está na primeira casa e se está com o sol, alquimiza o caminho da individuação.  Esse é um tema delicado da alquimia transcendental e que merece maior estudo, sobretudo quando existe uma lunação ou eclipse.

A Lua inverte a polaridade matricial.  Isso acontece em qualquer casa onde a lua se encontra, mas precisamente na primeira casa, ao “inverter” a polaridade torna instável, errático e sensível o ego comprometendo-o as flutuações da energia telúrica. Na casa que cai a Lua  você não pode ter confiança, pois você sofrerá influencia lunar.

Por exemplo, a Lua em Leão, na primeira casa.  Ao inverter o campo elétrico, ela de magnética, se torna elétrica e portanto negativa em si, o que exprime uma ambição que se contém em lindes rápidas, pequenas, e extremamente sujeita a conflitos com a mãe-lua.  O conteúdo emocional trabalha no plano  astral.  Conseqüentemente o Leão se esteriliza enquanto a tirania materna descontrola e estafa o ego de tal sorte que a vida torna errática a pessoa, até que surja orientação para a chama da vida-solar.  No entanto, e aqui estaria uma chave, a lua deixa o ser sensibilizado para as questões do oculto, porém, subestimado sempre pela mãe-lua.




A Lua na primeira casa faz a pessoa sentir-se como protetora e mãe, embora de caráter mutável e errático.

Qualquer planeta que ocorra na primeira casa atualizará o ciclo ascendente, despertando, agitando  e saciando a ambição, o motivo, o desejo.

Vênus impele a uma ambição pelo belo e pela forma, pela arte e pelo magnetismo, enquanto Marte, nobre e guerreiro, impele ao científico, formal, impositivo senso de dever.

Mercúrio impele a uma racionalidade “emotiva”, o “cumpra-se” inteligente da ordem solar.
Mercúrio, por ser o primeiro planeta, tanto relaciona o nativo com a mãe (aspecto com a Lua) como com o primeiro filho.  Nesse caso entende-se que o motivo primário do homem físico atual é prolongar a espécie e depois trabalhar o valor do planeta no plano emocional, racional e transpessoal.

Júpiter apresenta um ciclo de 12 anos e somente aos 24 anos do ciclo do Júpiter na primeira casa é que a sociedade existe como motivo a ser preguiçosamente pensado, analisado, planejado e estabelecido.

Mais difícil é Saturno que toma 29 anos para a proposta do ego a nível de sabedoria, magistério, justiça ou qualquer proposta vibratória do planeta.

O motivo da primeira casa se encontra na perspectiva do adiamento, mas se torna verdadeiro, depois de um período cíclico aprazado, com a existência dos planetas transpessoais (Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão).
Urano impões uma ambição ideológica, filosófica, científica, futurista, de qualquer maneira, “inaceitável” pela sociedade antes do amadurecimento solar (40 anos). 

Netuno acentua a necessidade de se ampliar o “parquet” metafísico.

Plutão age como um grande computador a arquivar eternamente as experiências do homem-terra.  Trata-se de um poderoso agente do inconsciente coletivo e grupal.  No entanto, face ao ciclo de 250 anos, lento e inexorável, Plutão acentua uma compulsão para o agente identificar e manter o antigo ciclo ou prolongá-lo no atual.  Como se encontra na primeira casa agirá diretamente na identidade, contudo esta somente aceitará a força de Plutão após algumas transformações.  Ou pelo menos quando o agente se identifique a forma de poder em plano coletivo e assuma esta identidade.

Dois fatos importantes merecem analise, ainda que superficial, sobre o tema da primeira casa.  O primeiro deles é a crise de identidade, que em geral ocorre quando há muitos planetas na primeira casa, de forma que o agente não consegue identificar-se com nenhum  para definir o motivo do ego salvo na idade individual onde o ciclo do planeta acontece como definidor da identidade.  O outro é a angústia de identidade, quando não há nenhum planeta naquela casa.

No primeiro caso ocorrem alternâncias de identidade que serão registradas em cada um dos ciclos planetários com o planeta do ciclo atuando como motivo mais evidente.
No segundo caso, existe a ausência de energia face a inexistência de planetas, o que significa falta de parâmetros definidores do ego.  A terapia mais indicada é a identificação como o arquétipo ascendente, o que significa trabalhar com o modelo definidor da grande obra e que será dado pelo signo ascendente.  Gêmeos indicará um tipo de comunicação a ser trabalhado e energizado literatura, arte, cinema, etc. Enquanto Escorpião indicará uma medicina alternativa, oculta, ou afim ao ego sensitivo ou paranormal.  De qualquer forma, nessa casa, faltando o parâmetro a nível de ego, deve-se acelerar a chegada ao inconsciente.

Todo planeta é uma fonte indiferenciada de energia que motiva, como se fosse um metal, o comportamento físico e psíquico do indivíduo.  De fato, ele “diz” e até arbitra o comportamento do ego com relação ao motivo, porém no ciclo próprio.

Inexistindo planetas na primeira casa, temos:
            a) Falta de parâmetros a definir a qualidade e quantidade de motivação do ego;
            b) Motivação ou ambição superior, fornecido pelo arquétipo encastelado na cúspide do ascendente.  Verificar em que casa se encontra o regente do ascendente;
            c) Transferência da ambição para a casa oposta, o  que pode acarretar grave crise na identidade, como da individualidade, renuncia, abandono, etc.

O Nódulo lunar na primeira casa indica a necessidade do agente despertar o sentido de identidade.

Se a primeira casa apresenta signo interceptado, indica alguma dificuldade no nascimento. Comumente existe a síndrome de rejeição, que nada mais é senão uma conseqüência metafísica de nascimento ainda na circunstância rotacional uterina mal resolvida, uma espécie de carma que só termina quando há conhecimento de sua origem.

Também indica o poder feminino, lunar e magnético de destacada atuação na formação da identidade, acentuando, notadamente, a crise.

A presença de sol interceptado na primeira casa indica um poder extraordinário que deve retornar uma vez que existe mais está inibido, pois o fator “interceptação” é inibidor, castrador e ameaçador de impotência generalizada.

Importante na interceptação de 1ª casa é considerar a passagem do sol e da lua progressados e os trânsitos dos planetas transpessoais, que podem assinalar profundas modificações na personalidade.

O Nódulo lunar permite entender e ligar o propósito do espaço atual do ego com o tempo anterior ou paralelo.

Os Nódulos podem ser tidos como um túnel imaginário que transcende o tempo e nos permite assistir a maravilhosa projeção da vida do ser humano como parte essencial de um processo eterno.

O Nódulo Lunar faz fluir, no seu aspecto negativo, o passado do homem, enquanto, em seu lado positivo, o põe frente ao caminho do futuro.

O Nódulo Lunar na primeira casa indica a necessidade de despertar o sentido individual.  É como se, ao longo do tempo tivesse diluído sua persona em tantas outras que, nesta vida, necessita compor-se numa só.  Estabelecer uma identidade é desenvolver a confiança em si próprio.

A vida paralela está no sol que se desloca ou progressa.
A energia ariana situada na 1ª casa apresenta o arcano do Imperador.

Cartas de Tarot

O Imperador     representa a casa 1. 



O Mago  representa a casa 10

A Papisa    representa a casa 11

A Imperatriz  representa a casa 12

LUA FORA DE CURSO LFC

Hoje vamos falar sobre um fenômeno astrológico muito comum e que afeta a todo mundo gerando muita curiosidade.  A Lua está sempre em m...